Viagem ao Egito

Enfim, chegamos !!!! Exaustos, porém ansiosos para desvendar os mistérios do Egito!! O Rodrigo e seu harém (éramos 14 mulheres e apenas ele de homem). Ficamos hospedados no Hotel Piramisa, que era o hotel do nosso evento. O Hotel é enorme, tem vários restaurantes e até um cassino. Lá, eles fazem também muitos casamentos, que por sinal, tivemos a felicidade de participar de um.

 

No nosso primeiro dia, fomos direto para as Piramides de Giza, porque nao adianta, e por mais que o Egito tenha outras atrações turisticas menos lotadas,voçê vai querer logo dar de cara com elas. Um dos monumentos mais antigos do mundo, as únicas das 7 maravilhas do mundo originais ainda de pé são fontes inesgotáveis de puro mistério. É impossível não pensar quase que automaticamente: “Como elas foram construídas”? Apesar dos séculos de pesquisa e possibilidades, a verdade é que pouco se sabe sobre elas, além de que na verdade foram construídas com a finalidade de serem tumbas dos Faraós. Composto por um conjunto de três pirâmides – Quéfren, Miquerinos e Quéops – nomes de faraós da 4.ª dinastia -, é um dos locais mais visitados dos arredores do Cairo. A maior e mais antiga é a pirâmide de Quéops, com 138 metros de altura e 227 metros de largura na base, é constituída por um conjunto de dois milhões de blocos calcários que, na sua maioria, pesam pelo menos duas toneladas cada.


Passamos boa parte do dia por lá, tenho que confessar que quase desmaiei (o calor estava demais da conta e o sol do deserto é impiedoso). A área é realmente muito grande e as pirâmides estão bem longe umas das outras. Resolvemos então entrar em uma das piramides. È algo super interessante, mas, se sofre de alergia, pode esqueçer…. cheira muito a mofo!! Lá  embaixo o ar é rarefeito, e o pouco que sobra tem um cheiro fortissimo de amonia, o que dá uma sensação de abafamento agoniante! Sem falar no cansaço nas pernas e braços que  doeram por quatro dias, pois voçê desce agachado. Conseguimos entrar em uma pequena pirâmide, destinada a uma dos filhos de um faraó. Das pirâmides principais, pode-se entrar em duas, mas é terminantemente proibido tirar fotos. Como no Egito, existe a famosa propina, com um ou dois dólares,o próprio policial que entra com você, tira a sua foto dentro da pirâmide. Acho que já vimos este filme antes né…

A Esfinge é gigantesca, mas sentadinha ali,como que tomando conta das pirâmides, realmente ela parece uma miniatura!  Diz a lenda que o nariz da esfinge foi destruído pelo exército de Napoleão, e a barba – que caiu – foi restaurada e esta exposta no British Museum em Londres. Diga-se de passagem ,grande parte do que um dia foi do Egito está na França, tendo sido literalmente roubado pelo exército de Napoleão.

Os camelos na área das pirâmides são todos muito enfeitados e coloridos, como se fossem bonecos de brinquedo. Bastante fedorentos, e rodeados de moscas,  muitos deles beijam o dono na boca após emitir um grunhido estranho. Um sucesso para as filmadoras dos turistas. Tenho que admitir que fiquei com um pouco de medo no início, mas depois foi tranquilo. Claro que tudo isso é pago também….Abrindo uma aspas, um fato interessante no Egito é que tudo lá gira em torno do turismo, e todos querem ganhar, a ponto de se você for a um banheiro público, depois de usá-lo e lavar as mãos, pode apostar que vai ter uma pessoa que está segurando as toalhas de papel para te entregar e receber um dólar como agradecimento. As vezes nos sentimos em Porto Seguro, pois por onde andávamos, existiam pessoas querendo nos vender de tudo por um dólar ou um euro, mas vale muito.

Fomos então almoçar num restaurante que fica quase em frente a entrada para as pirâmides, e assim podermos mais uma vez apreciar aquela paisagem magnífica que ha muito tempo sonhava em conhecer. Ver a mesa cheia de cerveja é privilégio para turistas no Egito. Bebida alcoolica é liberada somente para turistas, mesmo assim, em restarauntes. Em locais abertos é terminantemente proibido, desta vez sem o famoso jeitinho…

Outro lugar interessante no Cairo é visitar o Museu do Papiro. Pode-se assistir à apresentação e demonstração das várias fases por que passa a planta papiro, até chegar ao papel resistente que todos nós conhecemos.

Outra visita a não perder é a fábrica de perfumes. Esta perfumaria é um negócio de família onde se oferece aos visitantes uma bem montada encenação sobre os passos necessários para a elaboração de um perfume, seus efeitos e diferentes utilidades. É que ali existem perfumes e óleos para afastar todos os males, atrair bons negócios e até sedução e relaxamento total. No Egito, existem milhares de lojas de essências, de milhares de perfumes….e em todas que você visitar, vai encontrar um atendimento especial por parte dos donos. É bom procurar e pechinchar os preços….tudo lá cai de preço…tente !!! acredite !!!


O Museu Nacional do Cairo, também denominado pelos locais de Al-Mathaf,  é considerado um dos maiores museus de todo o planeta.
Localizado na praça Tahrir, o museu possui um acervo de mais de 120 mil peças de antiguidade egípcia. Me fez lembrar da tia teteca, ná época do primário, quando ela contava aquele monte de história sobre a antiguidade, e as vezes chegávamos a desconfiar da veracidade. Podem acreditar que tudo que ela falava é a mais pura verdade. Quem gosta de História, na hora de entrar no Museu do Egito, dá um arrepio e uma emoção muito grande. No jardim localizado na entrada do museu, existem várias esculturas antigas, compondo um dos principais cartões postais da cidade. É expressamente proibida a entrada de máquinas fotográficas ou celulares.

Vale a pena deambular pelas tendas do famoso Souk de Khan el-Khalili e descobrir mil e uma maravilhas e trazer alguns dos souvenirs exóticos que ali se vendem, tais como as típicas narguile – pipas de água -, papiros que reproduzem motivos clássicos, roupas de dança do ventre, tapetes. Ali, todos os negócios acontecem, compra e venda…tentaram até comprar a minha esposa..rsrsr….para quem gosta da sogra, é um bom lugar para levá-la…srsrs.  Mas perambular pelas ruas do bairro Islamico e se perder pelas ruelas do mercado é uma experiencia sem igual. No caminho do mercado, o motorista de táxi nos avisou: Quando te derem um preço, nunca pague mais que a metade do valor inicial! Descobri ali que a minha esposa é uma maravihosa negociante, como toda mulher, gosta muito de pechinchar e regatear preços bem em conta. O mais engraçado é que os egipcios adoram esta negociata, e até ficam constrangidos quando elas não acontecem. Se por um acaso eles te chamarem a entrar, sentar, te oferecer um café turco, um refrigerante ou um chá, pode ficar tranquilo e negociar numa boa. Eles ainda te agradecem quando o negócio é fechado, e dizem amar o Brasil….

A Citadela é uma dessas áreas do Cairo que por ter “apenas” 1.000 anos de história, acaba perdendo espaço para outras atracões mais Faraonicas da cidade. A Mesquita que marca a silueta da Citadela e do panorama Leste do Cairo é Mohammed Ali, construida por cima da mesquita original (em 1830), para ceder o lugar de honra a uma construção mais nova, com arquitetura Otomana inspirada nas Mesquitas de Istambul. Uma coisa importante de enfatizar é que por ser uma area religiosa Islamica, tanto homens quanto mulheres devem estar sempre com joelhos e ombros cobertos (nao importa o quão quente esteja) e acreditem, esse lenço roxo nos ombros estava me matando de calor!

Apesar de ser uma cidade majoritariamente Islamica, Cairo tambem tem uma grande comunidade Cóptica (Cristã Ortodoxa), tendo sua “sede” no pequeno e murado bairro Cóptico. Vale a pena lembrar que fotos nao sao permitidas dentro de nenhuma das criptas, museus e Igrejas (apenas Sao Jorge pois ainda esta aberta para missas e serviços).

È na Mesquita de Saladino que  acontece um dos melhores shows típicos que voçê pode assistir no Egito.Num ambiente, um teatro a céu aberto, que mais parece uma ruína. Músicos árabes apresentam um espetáculo acústico, vestidos com túnicas e turbantes, tocando diversos instrumentos típicos.  Você vai se arrepiar, pode ter certeza.  O show é sempre o mesmo e dura umas duas horas, mas impressiona bem. Fazem evoluções tocando os instrumentos no palco, cantam, e fazem diversos solos isoladamente também (derback, rabeb, snujs…). Após o solo individual de cada um dos talentos, acontece uma apresentação de “tanoura”. Derviches são sufis e apresentam-se com roupas brancas e uma espécie de chapéu cônico. Giram durante um bom tempo em uma situação de transe religioso. Assim, aquele que faz os giros, utiliza-se roupas coloridas e que possam surtir um bom efeito visual para o público.  Faz diversas evoluções, com trocas de roupagem, tudo isso girando sempre.

Um Passeio bem legal é a Vila Faraônica: o passeio é de barco passando ao redor de uma pequena ilha cercada de papiros e assiste-se ao vivo, como os egípcios viviam naquela época.

Fizemos um passeio-jantar num barco a noite pelo Nilo, com direito a buffet e show de danca do ventre. Durante o Jantar, as mulheres do grupo também  dançaram e muito bem por Sinal. Tenho que destacar que as dançarinas que viram de Brasília, deram um show, especialmente mãe e filha (Layla e Amura), que fizeram um show a parte…valeu muito o passeio.

Viagem  a Alexandria

Não há como visitar o Egito sem conhecer Alexandria , cidade de Cleópatra. Segunda maior cidade do Egito, situada a Oeste do delta do rio Nilo às margens do Mar Mediterrâneo e é o principal porto do país e centro comercial. Tem uma população de cerca de 4,1 milhões de pessoas, servindo 80% das importações e exportações da cidade. Além disso, é um grande ponto turístico.

Alexandria se estende por 32 quilômetros na costa mediterrânica do centro-norte do Egito. É o local onde fica a famosa Biblioteca de Alexandria e é um importante cento industrial por causa do gás natural da cidade e dos poços de petróleo em Suez, uma outra cidade egípcia. Alexandria era conhecida pelo Farol de Alexandria (uma das sete maravilhas do mundo antigo), pela Biblioteca de Alexandria (a maior do mundo antigo) e pelas Catacumbas de Kom el Shoqafaw (uma das sete maravilhas do mundo medieval).

O Mar Mediterrâneo não cessa de maravilhar os viajantes pelo visual deslumbrante!!

O Palácio Montazah foi residência de verão da família real, mandado construir pelo vice-rei do Egito Abbas II (1892-1914). Encontra-se rodeado por belos jardins de estilo europeu e é utilizado como residência de convidados oficiais.

Retornando ao Cairo, vamos falar um pouco do famoso festival que tive o prazer de ter participado. Foi tudo tão mágico, que as vezes nem acreditava que estava ali. O festival assim como todos os wokrshops aconteceram lá também….tive o privégio de conhecer nomes renomados da dança do ventre, como Giselle Bomentre( que participou na novela global O Clone),Nour, Asmah Rhama, Soraia Zaied, enfim….foi perfeito….só indo pra saber como é!!!

O festival acontece todos os anos em junho, na verdade são dois festivais….esse é imperdível!! Quem tem interesse em ir para o Egito, estarei colocando no final desse post os contatos com a organizadora da viagem que é de Brasília, o grupo do Studio Zhara….é sensacional!!

Durante o festival, tem várias tendas vendendo todos os artigos de dança do ventre, uma peça mais linda que a outra..vale a pena pechinchar também….as roupas são lindas,lógico que bem mais barato do que aqui e a qualidade é bem melhor….comprei duas lindissimas!

Tem uma brasileira chamada Soraia Zaied que faz muito sucesso lá no Egito. Ela se apresenta no Hotel Sheraton e em um outro também que não me recordo agora, simplesmente um espetáculo, ela arraza!!

Sinceramente,em certos momentos não acreditava de estar lá em meio a milhares de anos de história  e cultura, mas muito grata a Deus e muito  feliz de poder conhecer um dos lugares mais famosos do mundo!! Egito…já estou com saudades….esse foi nosso jantar de despedida no Cairo….!!!

Realmente é um passeio que vale cada segundo, e o nosso grupo, sempre únido e bem animado, deixou muitas saudades. Assim como a nossa, era a primeira vez que eles faziam esta viagem e apesar do sofrimento que passamos na Holanda, dormindo em aeroporto, comendo sanduiches e outros apertos, a nossa chegada no Cairo nos deu um novo ânimo, para, mesmo mortos de cansados como estávamos ainda termos força para no mesmo dia sair e dar umas voltas.

Fica aqui  um agradecimento especial ao nosso guia Hossam e a todas as amigas, em especial Amura e Layla, que na época, tinha um pouco de muito pavor em fazer viagens aéreas, e acredito que hoje, já tendo além de seu Studio de Dança do Ventre Zahra, também organiza viagens ao Egito, Turquia e outros países mais, mostrando a força e o valor de um povo sofrido, porém orgulhoso de sua cultura e sua religião. Hoje, por meio do Studio de Dança, elas tem vários roteiros de viagem e sempre estão presentes nas mesmas, são pessoas que indicamos de olhos fechados para quem quiser fazer uma viagem segura e bastante animada.

Link: http://zahrastudio.com.br/aaa/

Viagem a Holanda

Nossa viagem para o Egito, comecou com uma escala em Amsterdam. Fomos com um grupo de 14 mulheres de Brasilia, organizado pelo Studio Zahra, afinal, estavamos indo para o Festival Internacional Nile Group de dança do ventre. Até ai tudo bem. Chegamos ao meio dia no aeroporto de Schiphol e nossa conexão para o Cairo só seria a noite.  Na saída da cegonha ( aquele canudo que liga o avião ao aeroporto), vários policias loiros, altos e de olhos azuis paravam todos para verificarem os passaportes. Quando chegou a minha vez, o policial perguntou o que faríamos na Holanda e eu disse que éramos todas dançarinas do ventre e que iríamos para um festival de dança no Egito. Foi o bastante para que nos liberassem….Uma amiga que estava sendo “entrevistada” por outro loiro de olhos azuis perguntou em português a ele se não rolaria uma “revista íntima”..ela o deixaria fazer com o maior prazer. Ele não entendeu (ainda bem) e todas rimos.

Saindo do saguão de desembarque, resolvemos pegar o metrô para conhecer o centro da cidade. Realmente a cidade é bem bacana, com aqueles canais …é fantástico!! Achamos as coisas bem caras, mas vale muito a visita.

O museu de Madame Tussaud fica bem na praça, sempre muito movimentado, gente passando a todo instante.

Lojinhas de suvenires é o que não falta…mas as coisas não são baratas!!!

Os canais são bem bonitos…não deu tempo para gente fazer o passeio, ficará para uma próxima visita a essa cidade linda, charmosa, e com um povo muito gentil.

O distrito da Luz Vermelha… vá logo antes que não exista mais, pois há inúmeros projetos governamentais para acabar com a imagem do “sexo livre” que Amsterdãm oferece.

O trem (bondinho) te leva para qualquer lugar da cidade. Fique atento que numa mesma rua circulam carros, motos, bikes, tram e pedestres. Fique atento também em pagar a passagem, pois não existe cobrador….nos sentimos envergonhados quando usamos o trem, e demos um “furo”:Entramos no trem com destino ao ponto final, a estação do metrô, que nos levaria de volta ao aeroporto. Como não vimos cobrador, eu me encarreguei de pegar a grana com a turma para, no final do ponto entregar a “motorista” do nosso trem. Assim, quando chegamos e eu fui pagar, ela olhou para mim e disse com uma voz meio alterada que era para termos pago na entrada….mesmo assim estendi a mão com a grana para poder pagar, mas ela nos pediu para descermos do trem e que não precisaríamos pagar passagem desta vez. Descemos, mas ficamos sem graça e muito envergonhados….fazer o que né ?? coisas de passageiros de primeira viagem..rsrsr. Ah..só para lembrar, no metrô o esquema é o mesmo, não tem nem roleta, se aquele famoso “Gerson”  quiser usar o metrô sem pagar, ele vai fazer…só que se aquele fiscal que as vezes entra e pede o bilhete pedir a ele e o mesmo não tiver…já viu né….chato…prefira sempre o lado certo..afinal, você é um turista e sua imagem representa o seu país. Só para finalizar o assunto trem/metrô, eles são pontuais, britânicos e suíços, não atrasam um minuto sequer.

Bicicletas, ruelas, pontes, canais, cerveja, museus, coffee-shops, tulipas… Amsterdãm são estas e muito mais outras palavras que podem ser como adjetivos. O lugar é mágico mesmo! Uma pena que não ficamos muito tempo na cidade, mas o suficiente para ter certeza que preciso voltar com calma para curtir essa cidade contagiante!!

OBS: Vou contar agora outra das nossas aventuras, que teve início assim que entramos no avião que nos levaria a Cidade do Cairo. Nosso avião, modelo 777-200LR da KLM já estava com todos os passageiros em seus lugares, mas veio o horário de sair e ele não se mexeu… meia hora, uma hora, hora e meia….as galleys, já estavam escancaradas para os passageiros poderem se servir a vontade pois  a agonia já tomava conta dos passageiros, fossem eles brasileiros, egípcios, americanos, holandeses, etc..etc…

Como bom brasileiro e curioso, reparei que inúmeras vezes um dos comissários olhava atentamente para o vidro da janela de emergência que ficava sobre a asa direita da aeronave. Pois bem, em uma das vezes que ele veio, esperei-o sair e fui logo depois ver o que estava acontecendo. A cena foi ao mesmo tempo hilária e desesperadora: do alto de uma escada, la na ponta da asa, um sujeito estava com um “pedaço” de alumínio nas mãos e o encaixava e retirava em um “pequeno” buraco existente quase na ponta da asa….suspirei, retornei ao meu assento e falei para minha esposa do fato, mas esqueci que nas poltronas bem próximas outros passageiros, brasileiros e brasileiras estavam atentos às minhas palavras…pronto!!!! adivinhem o que aconteceu ?? desespero entre os brasileiros e brasileiras, e logo toda a aeronave estava numa agitação só…gente falando alto, dizendo que queria sair do avião…nada muito confuso, mas bem pesado. O fato é que em 15 minutos,  mais ou menos as 23:45 horas, recebemos uma ordem do piloto para desembarcarmos e aguardar no saguão que o pessoal de terra da KLM iria se pronunciar a respeito do atraso. Assim fizemos,não sem antes descobrirmos que as mulheres egípcias sabem reclamar muuuuito…e bem alto. Na sala, começaram a chegar vários policiais e fizeram quase que um cordão  em volta dos passageiros. Veio então um senhor e nos informou que um problema “técnico” (como sempre) havia acontecido e que o nosso voo havia sido transferido para  as 09:30 da manha do dia seguinte. Até aí, poucas reclamações, mas quando ele disse que não havia hotel para os passageiros e que teríamos que pernoitar no aeroporto, eu pude entender o porquê de tantos policiais….a sala ficou parecendo uma feira livre em dia de liquidação….muita, mas muita reclamação de todas as partes..mulheres gritando, falando que estavam com os filhos, homens xingando em várias linguas..que loucura….me senti no aeroporto de congonhas na época da operação tartaruga…quem passou por lá na época sabe do que estou falando. Bem….10 minutos depois estávamos nós saindo da sala para o saguão do aeroporto, onde teríamos que procurar um lugar para dormir, se é que conseguiríamos fazer isso…Eis que surge uma equipe da empresa cheia de travesseiros, cobertores, necessaires cheias de material de higiene pessoal e vários vouchers de comida e de minutos em ligações locais e internacionais para todos. Fiquei na fila, e como representante do meu harém (afinal eu era o único homem em meio de 14 mulheres), peguei os vouchers necessários para todos nós e mais alguns de reserva. O problema era, naquela hora, achar algum lugar no aeroporto aberto para comer…já passava da meia noite e todos os bares e restaurantes estavam fechados…resolvemos deixar para o dia seguinte, pois além de famintos, estávamos cansados, suados e estressados, e fomos procurar lugar para dormir. Cada um se virou como pode..eu consegui dormir num saguão cheio de espreguiçadeiras bastante confortáveis pelo cansaço que sentia e Elaine acabou com mais umas 4 amigas dormindo…..dentro do parquinho de crianças, onde haviam vários colchões…..rsrsr.

No dia seguinte, todo mundo com cara amassada, afinal ninguém conseguiu dormir nada…fomos para o nosso embarque. Mais uma vez passamos pela revista, e ficamos aguardando na sala de embarque. Nove horas, nove e meia, dez horas…e lá vem os policiais novamente….um monte deles…e mais uma vez o pessoal da KLM para nos avisar que desta vez o avião estava OK…mas não tinha tripulação para o avião e nosso voo estava remarcado para as 16:30 horas…nem preciso explicar o que rolou né. …rsrs…chegou a ser engraçada e hilária a reação das pessoas….melhor deixar para a imaginação de vocês.  Dizem que na verdade havia tripulação sim, mas como o avião passaria por cima do espaço aéreo da Turquia, e neste dia um atentado em um grande shopping center na capital do país tinha matado muitas pessoas e um grupo terrorista chefiado por um tal de Osama Bin Ladem assumira o atentado, a KLM não quis arriscar o voo e achou melhor adia-lo novamente. Melhor não correr o risco né….

Bom, mais vouchers de alimentação e de telefone, mas….e banho ?? estávamos todos loucos por banho…fui até o balcão da KLM e me deram vouchers para que pudéssemos tomar banho em uma área específica da KLM…La fomos nós…e eu….mifu….o banheiro masculino só tinha água fria e eu não tenho vocação para pinguim, ainda mais na Holanda, lugar nada quente….ou seja, fiquei sem tomar banho. Encontrei com algumas das mulheres da turma e contei meu aperto..rsrsr. Prontamente elas disseram que iriam me ajudar. me levaram até a entrada do banheiro feminino, viram que não tinha nenhuma mulher além das do nosso grupo e me fizeram entrar em uma cabine para tomar banho. entrei correndo e fechei a porta….ufa !!!! consegui tomar um banho quente e revigorante. Agora era bolar o plano para sair de lá…rsrsr…mais uma vez elas me ajudaram e consegui sair sem ser percebido.

Finalizando este nosso chá de aeroporto, quando nosso avião chegou, desta vez com a tripulação, era um super 747-400, novinho. Embarcamos, com destino ao Egito, desta vez sem erros e eu com mais de 200 euros em vouchers para comida, que foram utilizados na volta do Cairo com a compra de muitas e muitas latas de castanhas, avelãs e outros enlatados que nos deram muita alegria com outros amigos e algumas cervejas aqui no Brasil. Finalmente chegamos ao Egito…foi bom ,bom demais, excelente….

Viagem a Dubai e Abu Dhabi

Os Emirados Árabes Unidos conquistaram o status de destino dos sonhos de milhões de viajantes pelo mundo afora. São sete ao todo: Dubai, Abu Dhabi, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah.

Abu Dhabi é o maior de todos os emirados, e está cada vez mais se destacando como destino de viagem. Dubai foi o emirado que despontou  primeiro para o mundo, no final dos anos 1990, mas, hoje, quem mais atrai os olhares é Abu Dhabi. Nao foi por acaso que Abu Dhabi deu essa tremenda virada. Em 2004, o xeque Khalifa Bin Zayed Al Nahyan assumiu o trono do país e  decidiu investir fortemente no turismo e a partir dai, novos ventos sopraram….

Estávamos em Dubai quando decidimos contratar um motorista para nos levar até Abu Dhabi. Fomos bem cedinho numa Toyota Rav4(US$100,00). A viagem foi muito tranquila, são 6 pistas para cada lado, dividida por um muro,num percurso de duas horas de viagem.Você começa a perceber a diferença de um emirado para o outro ainda no asfalto.

Geograficamente falando, ela fica em uma ilha em forma de cunha, ligada ao continente pelas pontes Maqta e Musaffah. Percorrendo ao longo da costa está a Corniche, principal avenida que se estende por sete quilometros e é o lugar perfeito para começar o passeio pela cidade, vendo aquele mar azul e dezenas de prédios suntuosos. Nossa primeira parada foi no Shopping Marina Mall, com 400 lojas, dentre as quais muitas de marcas famosas e com preços otimos, já que há isençao de impostos. Detalhe: Quando estávamos parando na porta do Shopping, uma Ferrari, ultimo ano, parou na nossa frente e desceu um cidadão para entrar no shopping, não se dando nem ao trabalho de fechar o carro….bateu a porta e entrou..simples assim..chato né…sem contar que estava havendo uma promoção no interior do shopping, como aquelas que tem aqui no Brasil, em que trocam-se NF por cupons que dão direito a sorteios..lá também é assim..mas o sorteio era de uma Mercades ML último modelo….simples assim também….

É nessa avenida ainda que se encontram os melhores hotéis da cidade, alguns merecem uma visita, mesmo que você nem sequer pretenda se hospedar lá. É o caso do Emirates Palace.(afinal, a diaria é bem salgada, em torno de US$500,00). Este hotel é considerado o mais caro de todos os tempos (custo estimado de US$3 bilhoes).Também, nao é pra menos, os hóspedes são recebidos com caviar, champagne e charutos Cohiba e todas as paredes internas são revestidas de detalhes em ouro e mármore. Eu fiquei pasma quando vi aquilo, é algo inacreditável…

Outro lugar bacana de se conhecer é a Sheikh Zayed Mosque, a sexta maior mesquita do mundo, que pode abrigar 40.000 pessoas. Ali resplandece o maior tapete já tecido do mundo, com 6 mil metros quadrados(equivalente a meio campo de futebol). A decoração é feita em mármore, com entalhes e afrescos que misturam os estilos mouro, otomano e mongol. Vale lembrar que a entrada na Mesquita para quem não é mulçumano, fica restrita para o período da manha, exceto as sextas, quando apenas mulçumanos entram e as mulheres ainda tem que colocar uma vestimenta preta como a da foto acima. Os lustres são imensos, todos folheados a ouro, e os afrescos no mármore branco parecem que são desenhados, quando ná verdade são incrustados no mármore….lindo de viver como diria a famosa Hebe…rsrsr…..  

Exitem vários souks na cidade, que são aqueles tradicionais mercados de rua, com seus produtos artesanais, guloseimas, tapetes, roupas, eletrônicos, jóias e presentes de todos os tipos. Vale a pena uma visita, afinal, uma viagem a Arábia, jamais será completa sem umas comprinhas e muita pechincha, ja que, a negociação faz parte da cultura árabe.

 

DUBAI

Dubai é uma cidade de superlativos, principalmente no que se refere a projetos arquitetonicos, tudo alí é super….hiper….nada menos que isso. Dubai é para quem quer se impressionar diante de shoppings  futuristas, hotéis sete estrelas, obras faraônicas, carros luxuosos, pontos de ônibus com ar condicionado, incontáveis gruas em construções…enfim..é algo surreal!!

Na disputa para ver qual é o maior símbolo da cidade, a disputa é de gente grande….De um lado o maior arranha-céu do mundo com 828 metros de altura (Burj Khalifa), e do outro, o hotel Burj Al Arab (aquele em formato de vela), que foi o primeiro cartão-postal da cidade. Tem ainda o Mall of Emirates, que tem uma imensa pista de Sky, e uma temperatura de -4º C…

Merece destaque uma outra construção babilônica (Jumeirah Madinat), que é uma combinação de hotel-butique, com spa, campo de golfe e área de diversão para os pequeninos. Lá tem um canal no estilo veneziano, com aguas claras e cercado de palmeiras. É um lugar otimo para comprar suvenirs. Vale lembrar que tanto o Burj, como o Madinat se localizam na área de Jumeirah.

No final da Jumeirah Beach (avenida principal que corre pela costa), fica a Mesquita Jumeirah, que tem a fama de ser a mais bonita da cidade. Atenção com os trajes: regatas, saias, vestidos e shorts curtos são proibidos. É necessario retirar os sapatos, e a mulheres devem usar um véu durante todo o tempo em que estiverem na mesquita.

A melhor maneira de desvendar a parte antiga de Dubai, é começando pelo Museu de Dubai, maior prova que  cidade já teve um passado. O museu foi aberto em um forte de 1787 e retrata bem como era a vida dos beduinos no deserto e  tem também a representação de um souk.

Depois vá até um souk de verdade, tem dois imperdiveis: o de especiarias e o de tecido. Os preços são maravilhosos e ficam melhores ainda com uma boa pechincha. Nao deixe de visitar o Souk do ouro…mesmo que você nao vá comprar nada, é algo lindo demais. Você viu o filme chamado ‘Um Príncipe em Nova York” com o ator Eddie Murphy ?? Lembra da cena em que ele aparece desfilando com aqueles cintos e aquelas faixas todas em ouro ?? pois é..lá em Dubai, elas existem de verdade..e são de ouro 22…a princípio, dá até um pouco de susto.

Outra coisa que também não muda é o fascinio que o deserto proporciona a quem visita a região. Tem uma excursão que começa ao entardecer no deserto,  que acontece em um veiculo tipo 4×4 que cruza o areial e desliza pelas dunas.  Claro que a patroa não fez pois ela tem um certo trauma deste tipo de aventura, mas eu fui com tudo e adorei..é uma aventura e tanto..apertem os cintos e o visual é show de bola, rende umas belas fotos. Após, vamos até um acampamento de beduinos, onde é servido um jantar árabe, faz-se passeios com dromedarios, show de dança do ventre…é imperdivel!!

Um meio de locomoção muito fácil na cidade é o Big Bus que tem duas linhas (azul e vermelha). Você vai aos principais pontos turisticos. E como tem dois andares,voçê tem a opção de escolher ir embaixo (refrigerado) ou no andar de cima, que é aberto,  curtindo toda aquela paisagem deslumbrante. Vale lembrar que dentro deste e de outros ônibus, garrafas de água dessanilizadas são distribuidas a vontade.

Algumas curiosidades que notamos em Dubai: 95% da frota de veículos são movidos a gasolina, aquela especial de altíssima octanagem, que custa uma média de R$ 0,75 o litro….Diesel é usado apenas para ônibus e caminhões pesados…. Nossa Toyota Corolla aqui, são os Porshes Cayenes lá. Como ja falamos, ponto de ônibus tem ar condicionado. O mercado que “manda” lá é o Carrefour, enorme e grande o bastante para ocupar boa parte de um andar no Mall of Emirates….lá encontramos água Perrier baratinha. Andar de mãos dadas por lá, no caso, com sua esposa ou seu marido, também pode dar problema com a polícia, claro, beijos na boca estão na mesma situação. No Mall of Emirates, uma outra ótima dica é “alugar” um carrinho de supermercado ( eles tem lugar para colocar uma moeda de 1 Diham para liberá-los) para poder levar consigo nas compras. O problema aparece apenas quando se quer entrar em uma loja e não se pode levar o carrinho….mas é só aparente..você pode deixar o seu carrinho com todas as suas compras ja feitas na entrada da loja, entrar e fazer suas compras, que quando você sair, ele vai estar lá, com tudo dentro, sem faltar nada….lembre-se você está em um país com rígidas leis e severas punições a qualquer deslize.

Um fato engraçado que aconteceu, foi quando, no mesmo shopping, após várias horas de andadas e compras, estávamos morrendo de fome e ao chegar a praça de alimentação, ví uma loja do Fry Chicken….fui correndo e no ímpeto de pedir o nosso franguinho, confundi uma porção de Special Chicken, como Spice chicken…rsrsrs..quando cheguei com a porção na mesa….Elaine logo foi pegando e colocando na boca uma coxa de frango….e 5 segundos depois, ela bebeu quase meio litro de refrigerante (Pepsi manda por lá….), pois o frango estava super temperado com pimenta (Em Dubai, você tem que pedir as comidas sem pimenta pois o normal é vir bem temperada com pimenta). Bom, finalizando, o frango foi para o lixo (quase chorei quando fiz isso), e fomos comer um bom sanduba no Mc Donalds..

Um programa legal é ir ao parque aquático Wild Wadi, que fica localizado entre o hotel Burj Al Arab e a Jumeirah Beach. Tem mais de 30 atrações, entre elas um toboágua de 33 metros (Jumeirah Sceirah) e um playground aquático para crianças, perfeito!! Como éramos visitantes de um país tropical, eu fui de sunga e Elaine foi c0m o biquini que não era dos maiores. Ela acabou passando um certo aperto, pois as mulheres que ali estavam presentes não gostaram muito do traje dela, de  forma que ela teve que dar uma esticada nas partes de baixo e de cima, fazendo com que chegassem ao limite do tamanho grande, mas mesmo assim, perto do que as pessoas usavam, era mínimo. Resolvemos ir a loja para comprar um mais discreto, mas mudamos rapidinho de ideia quando vimos o preço de US$ 250,00 estampado na maioria dos biquines. O problema foi resolvido com o uso da canga amarrada na cintura.

O parque tem muitas diversões, uma mais legal que a outra, mas não chega a ser nada superior aos parques aquáticos que temos aqui no Brasil. Vale a visita pelo visual, realmente muito bonito.

Fizemos um passeio legal jantando no Dhow Cruise Dinner, é um barco tipico down  que navega pelo Dubai Creek. É um passeio de duas horas, com músicas, danças e comida árabe, claro!

Bastakiya é um dos patrimônios mais antigos de Dubai e a última região de torres de vento na parte árabe do golfo. O nome Bastakiya é derivado da cidade iraniana de Bastak, de onde vieram muitos dos primeiros comerciantes que imigraram para Dubai no início do século XIX. Passeando pelos arredores de Bastakiya, é fácil experimentar a sensação de ser transportado para outra era. Estas construções antigas têm sido transformadas em cafés arborizados, galerias de arte e pequenas lojas peculiares, o que torna Bastakiya o lugar perfeito para se distrair por algumas horas.

Em termos de compras, Dubai é a número 1 no Oriente médio. Opções não faltam, desde shoppings até as feiras livres. Iremos citar alguns :

Mall of Emirates : A grande atração é o Ski Dubai, uma pista de esqui que choca pelo tamanho. Tem também um batalhão de grifes e restaurantes.

Dubai Mall: O maior shopping do planeta, com 1200 lojas e o famoso aquário com tubarões.

Souk Madinat Jumeirah:  Faz parte do complexo Madinat Jumeirah, o espaço é cheio de corredores estreitos e muitas lojas que vendem suvenires, jóias e objetos de decoração.

Souk Old Gold: mercado aberto para quem procura peças em ouro com preços mais camaradas. Existem ainda outros três shoppings que merecem ser visitados: Wafi, Mercato Mall, Deira City Centre.

A dica para os viajantes é, que, evitem viajar pra lá no mês de julho, que é o verão deles, pois o calor é absurdo, logo pela manhã faz 43 graus na sombra..!!! No mais, Dubai é pura magia…

E caso sinta muito calor, é só ir para um ponto de ônibus que tem ar refrigerado,e quem sabe…  não teremos um dia pontos assim  em Colatina ??

Viagem a Bariloche

Essa foi nossa primeira viagem levando nosso filho, na época com 6 anos, e que, por um acaso se esbaldou nessa viagem. Realmente, Bariloche é um lugar muito bacana para levar as crianças, se nós não tivéssemos levado ele, com certeza estaríamos frustrados.

Bariloche, ou São Carlos de Bariloche, seu nome oficial, tem, pode se dizer, as cores representativas da bandeira de seu país, o céu muito azul contra o branco de seus picos nevados. Estávamos lá no auge da gripe A, em 2009, na semana de toda aquela confusão, mas graças a Deus sem maiores problemas.

Independentemente de onde estiver hospedado, reserve ao menos um dia para bater perna nas lojas da Calle Mitre, a principal rua comercial da cidade. Aqui estão, na minha opinião, as melhores chocolaterias da região(Mamuschka, Fenóglio, Abuela Goy e muitas outras), tem restaurantes muito bons, tem galerias com roupas de frio com preços maravilhosos e souvenirs de montão. Se quiser ir a restaurantes, lojas e baladas á pé, é bom prestar atenção na localização, escolha um hotel entre as Calles Moreno e Mitre. Ma se preferir algo mais reservado, e não se importar em ficar gastando taxi pra lá e pra çá, então escolha os resorts da Avenida Bustillo e da Villa Llao Llao.

Normalmente o primeiro passeio que se faz ao chegar na cidade é o Circuito Chico, passeio que acontece á tarde. A primeira parada é no Cerro Campanário, la tem 8 mirantes e da pra ver o Chile a olho nu. Após, segue-se para a fabrica de Rosa Mosqueta e em alguns pontos panorâmicos de onde se veem a Península Llao Llao e o hotel famoso. É um passeio bem legal, tudo é filmado e depois de pago é claro, eles deixam na porta de hotel para que todos levem essa recordação.

Outro passeio imperdível é o Cerro Catedral, que é a principal estação de esqui da Argentina. São 120 quilômetros de pistas….é gigante!! Tem umas lojinhas na base, restaurantes e aluguel de equipamentos….um show!!

Outro passeio famoso é conhecer a confeitaria giratória do Cerro Otto, que fica a 1405 metros de altitude. È um passeio para a familia toda. Confesso que estava com medo de ter vertigem , mas é tranquilo, pois roda devagar.

Feito estes passeios, vale a pena conhecer a cidade vizinha, a charmosa Villa la Angostura e sua estação de esqui, Cerro Bayo, que é bem menor que Cerro Catedral, mas é lindo e todos se divertem de montão. O centro da cidade é pequeno,e, em duas horas voçê ja conhece todas as lojinhas e cafeterias.

 

De volta a Bariloche, não ha como se deixar seduzir pela gastronomia e as calorias  a mais….não duvide disso!!! A influência dos imigrantes é notável. Há a famosa fondue(Casa Suíça), o delicioso strudel dos alemães( Familia Weiss), as massas caseiras dos italianos, a carne Argentina e o cordeiro patagônico..enfim…tem restaurantes para todos os gostos!

A noite é bem animada, tem alguns pubs, boites e até um cassino do hotel Panorâmico, onde a entrada é gratuita e pode-se apreciar apresentação de danças e shows.(Não fomos porque tinhamos que ficar com nosso filho).

No Centro Cívico há um museu e na praça ficam alguns cães São- Bernardo com seus bauzinhos de bebida fazendo figuração para quem quiser fazer uma foto do tipo “perdido da neve”.

Viagem ao Panamá

Panamá, um pequeno país na América Central banhado pelas águas do Caribe, é um dos principais destinos da região. Ele atrai turistas que desejam aproveitar suas belas praias, como as da cidade de Portobello e as de Isla Grande, ambas situadas na costa caribenha. Mas esse não é o único motivo que chama a atenção. O país está em um local um tanto privilegiado, pois está entre a América do Norte e Sul e principalmente pela capital, a cidade do Panamá, ter o canal mais famoso do mundo que liga o Oceano Pacífico ao AtlânticoPlanejamos com antecedência nossos dois dias na cidade do Panamá, assim que voltássemos de Aruba..Ficamos hospedados no hotel Marbella, que por sinal…meu Deus…não recomendamos para ninguém. As dependências do hotel são ruins, assim como o café da manha..(será que posso chamar aquilo de cafe da manha…????). Não aconselhamos a ficarem lá..o hotel é de caixeiro viajante…. Por US$ 100,00 dá para ficar em hotéis muito melhores…mas era nosso debut na cidade do Panamá.

Assim que chegamos,  deixamos as malas no hotel e fomos direto conhecer o famoso comércio da cidade. Antes de mais nada é bom combinar os preços das corridas de táxi. Conhecemos um taxista muito gente boa na porta do hotel ( foi a maior compensação que tivemos pelo hotel), chamado Ricardo , que nos levou várias vezes ao shopping (Albrok Mall).  Acertamos também o passeio ao Canal do Panamá e depois a nossa ida ao aeroporto  por US $50,00.

Em relação aos shoppings, vale muito a pena, as roupas são bem mais em conta do que no Brasil, enxoval de bebê nem se fala, é muito barato. O Shopping que fomos não dá para ser visto em um único dia…tem que ficar mais tempo para poder conhecê-lo todo e ainda ir depois nos outros shoppings o MultiPlaza e o MetroMall, que são os de maior destaque. Existem outros menores, mas nós não fomos também.

Agora tenho que dizer..vale muito a visita ao Canal do Panamá…o lugar é muito show (US$8,oo). Lá, além do mirante, tem o museu do canal ,um cineteatro em que passa um video de 15 min contando a história da construção do canal e  uma loja de souvenirs bem carinha por sinal…No mais, é um passeio bem recomendado. O canal é considerado uma das maravilhas da engenharia que ficou para a História. Sua complexidade impressiona por ter um mecanismo que funciona perfeitamente em 79,6 km de sua extensão e em 26 metros acima do nível do mar. Não é a toa que esse projetou levou 10 anos e precisou da mão de obra de 75 mil trabalhadores para ser concluído, além de um custo de US$ 387 milhões. Para visitar o canal se deve ir às eclusas. É através delas que se pode ver as etapas que os navios passam para subir e descer, fazendo então a travessia.Há três eclusas: o Gatún, Pedro Miguel e Miraflores. Mas é na eclusa de Miraflores, onde há uma área reservada para os visitantes, que  os turistas podem ver  os navios em operação.

Viagem a Punta del Este/ Montevidéu(Uruguai)

Embarcamos na Copa do Mundo de 2010 para  Punta del Este para curtirmos mais umas férias tão desejadas, depois de um ano de trabalho árduo! Enfim chegamos …digo isso porque pela primeira vez senti medo na hora da aterrissagem, pegamos vento de cauda e…hoje damos risada, mas só nós sabemos o que passamos!!

Punta del Este fica a 120 km de Montevidéu, por estrada duplicada (e de velocidade controlada; vai-se em uma hora e meia desde o centro, ou uma hora desde o aeroporto da capital). O nome significa “Ponta do Leste” e descreve a situação exata do lugar: na extremidade oriental do Uruguai. A pontinha da península marca a divisão entre o Oceano Atlântico (o mar aberto) e o Rio da Prata (a baía).

Ao contrário da lenda, não é só ricaço que vai a Punta. O público é bastante eclético, e é cada vez maior o número de pessoas, principalmente brasileiros, que descobrem Punta del Este, no Uruguai devido a inúmeras vantagens como: curta distancia, pacotes em conta e facilidade da língua.

Ficamos hospedados no Conrad Hotel e Cassino, excelente, realmente é bem bacana! Punta del Este não seria Punta del Este sem o luxuoso cassino que se impõe majestosamente sobre a avenida à beira-mar. O hotel Conrad, aliás, tem o único cassino privado de Punta del Este. Uma vez hospedado lá, poderá aproveitar o sol na sua piscina incrível, relaxar no spa ou provar o gostinho da sofisticação em um de seus  restaurantes aconchegantes além de uma estrutura para realizar shows de artistas consagrados.

Tudo funciona na cidade na alta temporada (entre o Natal e o Carnaval). Fora de temporada é vazia e um tanto melancólica, porém muitas pessoas gostam dessa calma e vão para descansar e freqüentar seus restaurantes favoritos. E para aqueles que gostam de jogar, a baixa temporada oferece preços imbatíveis.

Punta não é um destino em que as mulheres ficam enlouquecidas em fazer compras( sem muitas opçoes para tal) e os preços são bem parecidos com os nossos. Se a ideia é levar para casa lembrancinhas com a cara de Punta, vá até a feira artesanal, na praça Artigas(centro) que funciona de segunda a sexta de 17 as 2 hs e aos sábados e domingos de 10 as 17 hs.  A avenida Gorlero, principal avenida no centro, tem muitas lojas de grifes renomadas e a calle 20  tem umas lojinhas  bacanas(outlet Valentino,Daniel Cassin). La Barra  tem galerias de arte e  lojas de antiguidades e decoração.  A Avenida Roosevelt une Maldonado com Punta del Este. Nessa região encontramos supermercados, hospitais, farmácias e até um shopping: Punta Shopping.

Vamos citar alguns  lugares interessantes para conhecer em Punta:

 Casa Pueblo : Localizada em Punta Ballena, a casa é uma imensa escultura que começou a ser construída na década de 50 com latas e outros entulhos. Com intenção de promover uma ligação entre o céu e o mar, o artista uruguaio Carlos Páez Vilaró, concebeu a casa toda a mão. Hoje, a Casa Pueblo é um hotel, centro cultural e ícone mundial. Visite no final da tarde, que é quando acontece a celebração ao por-do-sol.

Mão do Afogado: Localizado na Praia Brava, este monumento é o Cartão-postal de Punta del Este. São dedos saindo da areia, cujo significado seria a “presença do homem surgindo na natureza”.

Puente Leonel Vieira: Ponte ondulada em formato de “M”, que diverte as pessoas sobre a foz do Arroio de Maldonado desde 1965.

Porto:  Albatrozes e lobos marinhos, bem mansos, estão sempre presentes disputando os restos de peixes descartados pelos pescadores.

Praias: De um lado a areia é banhada pelas águas mansas do Rio da Prata, oferecendo praias calmas para quem quer mesmo relaxar: a Costa Mansa. Do outro lado, na Costa Brava, estão as praias mais rebeldes, molhadas pelo oceano.

Montevidéu

Fomos à capital de onibus, pois são apenas 130 km de distancia, o percurso foi muito tranquilo por sinal. A capital do Uruguai, se caracteriza pela arquitetura de estilos clássico e moderno e sua cultura local, fruto da colonização europeia. Sinceramente, achamos a cidade muito antiga, sem muitas atrações. Mas iremos citar alguns lugares  interessantes a serem visitados.

Jardim Japonês:  Situado no Museo Blannes, o jardim remonta à paisagem japonesa com pequenas pontes, ilhas e cascatas.

Mercado do Porto de Montevidéu (localizado na Cidade Velha):  Quando bater a fome,  não deixe de provar a parrilla, que é um churrasco como o nosso, a diferença está no preparo que é feito sem carvão e com a grade a poucos centímetros da brasa.

 Praça Independência (centro da Cidade Velha): Você terá uma visão panorâmica de todo o bairro. Há também exposições de artistas contemporâneos.

Fonte dos Cadeados: Fica no cruzamento da movimentada Avenida 18 de Julio com a Calle Yi: de acordo com a placa que fica junto ao monumento quem trancar um cadeado no gradil voltará a Montevidéu com seu par e terá um amor que vai durar para sempre….não custa acreditar, ja prendi o meu lá ..rsrsrsrsr.

Teatro Solis: inaugurado em 1856,casa da comédia e da Filarmônica de Montevidéu desde 1937 e que voltou ao seus tempos de esplendor em 2008,depois de terminada a obra que o recuperou de um incêndio .

St Maarten/St Martin

St Maarten, juntamente com Bonaire, Curaçao, Saint Eustatius, Aruba e Saba formaram as Antilhas Holandesas, que são ainda parte do Reino dos Países Baixos, embora autônomas. Já St. Martin pertence ao território francês de Guadalupe. A divisa entre St. Maarten e St.-Martin está bem marcada no mapa, mas na vida real a divisão é irrelevante O lado holandês tem grande influência americana:  a língua oficial é o inglês e o dólar é a moeda corrente. O lado francês faz mais jus ao nome, a lingua oficial é o francês, mas todos  falam inglês e não reclamam se você pagar em dólar, ja que a moeda corrente é o euro e na maioria dos lugares a conversão é feita de 1 para 1… ou seja, 1 dólar vale o mesmo que 1 euro. St. Maarten/St. Martin fica em uma região privilegiada do Caribe, a 250 km a sudeste de Porto Rico e a cerca de duas horas e meia de vôo de Miami. Faz sol o ano inteiro em St. Maarten/St. Martin. Evite viajar entre o fim de agosto e novembro, época de furacões e tempestades tropicais no Caribe.

Curiosidade:

Reza a lenda que os limites da ilha foram estabelecidos da seguinte forma: De ambos os lados um representante sairia caminhando, onde eles se encontrassem ali seria a linha divisória dos dois lados. Existe ainda uma anedota a respeito deste evento, de que o holandês saiu com uma garrafa de rum e o francês com uma de vinho, como o rum é mais forte o holandes nao resistiu a caminhada e dormiu… razão na qual o lado francês é maior.

Viajamos pela Copa Airlines num 737-800 , fizemos uma conexão rápida na Cidade do Panamá e enfim pousamos em St Maarten (lado Holandês), que tem aquela famosa praia em que o aeroporto internacional fica a menos de 12 metros da praia e os aviões parecem que vão aterrissar na água…lindo demais e é considerado um dos mais perigosos do mundo. È algo inacreditável…é muito louco mesmo!!! O nome da praia é Maho Beach, lá tem um bar chamado Sunset (por sinal é o único bar) onde eles informam numa prancha de surf os horários dos pousos dos voos internacionais e um aviso informando que mulheres de topless bebem de graça no bar… assim você fica sabendo o horário certo para deixar em sua camera essa aventura registrada e ainda pode beber de graça!!

Ficamos hospedados no Sonesta Maho Beach Resort, muito bom, excelente localização. Tem várias  lojas, diversos restaurantes , o maior cassino da ilha (Cassino Royale),bar com música ao vivo(Cheris Café),sorveterias, pizzarias,farmácias, discoteca Q CLUB..etc. Falaremos em nosso post dos dois lados da ilha, o francês(St Martin) e o holandês(St Maarten) separadamente para que compreendam melhor. Não importa de que lado voçe esteja, o que importa é voçê alugar um carro (a carteira de habilitação brasileira é válida para alugar o carro em Sint Maarten / Saint Martin)para conhecer cada pedaçinho dessa ilha que é bem bacana. Recomendo um bom filtro solar porque o sol arrebenta !!

St.Maarten 

Capital do lado Holandês :– Philipsburg

Praias não faltam nos dois lados da ilha. A tarefa difícil será decidir qual praia escolher para passar o dia, porque todas são ótimas. As principais  são : Maho Bay,Dawn Beach ,Mullet Bay,Cupe Coy Beach ,– Great Bay, Little Bay.

Great Bay Beach: localiza-se em Philipsburg,  águas calmas e um extenso calçadão, cheio de lojas, bares e restaurantes.
Maho Bay : Esta praia localiza-se bem na cabeceira do Aeroporto Internacional Princesa Juliana.
Mullet Bay : Próximo ao aeroporto, atrás de um campo de golfe, está uma das praias mais bonitas de toda a ilha.Ideal para prática de snorkeling.
O centro de  Phillipsburg  é o principal ponto de compras com muitas lojas  para atender os desejos consumistas dos turistas, sendo possível encontrar desde joalherias de alto padrão,  lojas de informática e eletrônicos, até souvenirs !!  Na Frontstreet se concentra as principais lojas. Na Backstreet se concentra as lojas de roupas, tênis e algumas de eletrônicos e perfumes.  A ilha inteira é duty free, ou seja, as compras não são taxadas….!! Fique atento as promoções…nós encontramos promoções de óculos Ray-Ban tipo compre 3 e pague 2, ao custo de US$ 120,00 cada, e tem uma loja de perfumes, a Penha, que sempre tem várias promoções. Os perfumes são mais baratos que nos Free Shops dos aeroportos brasileiros.
  Não faltam boas opções de restaurantes na ilha como: Chesterfields, Léscargot, Soprano….
 St Martin
Capital do lado frances: Marigot
Principais praias: Ance Marcel, Baie de L’ Emouchere (boa para windsurf), Cay Bay, Nettle Bay, Baie Rouge, Marigot Bay, Grand Case Beach, Petites Cayes, Orient Bay (praia de nudismo), Guana Bay (boa para Surfistas).
 
 
 
Anse Marcel : É a praia quase privativa do hotel Radisson Blue. Para chegar ao hotel, sobe-se uma ladeira para depois descer. A praia tem água azul, sendo bastante calma…é linda!!
 
 
Orient beach: En St. Martin é liberado o bronzeamento total, ou seja, aquele que dispensa qualquer tipo de traje de banho…Orient Beach é a praia mais badalada, conhecida como a St. Tropez do Caribe. A praia conta com um serviço completo, incluindo cadeiras e guarda-sol para alugar, bares, restaurantes e opções para a prática de esportes aquáticos, como jet ski e windsurfing. Este trecho da praia é reservado para a prática do nudismo, sendo proibido fotografar. Contudo, não é obrigatório aderir a prática, podendo permanecer vestido se desejar. 
 
 
 Grand Case :É uma praia calma, limpa e com  diversas opções de restaurantes. 
 
 Marigot reúne sofisticação e  oferece charmosos cafés e restaurantes. Este pedacinho da França encravado no Caribe é um show a parte…São inúmeras as lojas de grifes, além dos shoppings e de  uma feirinha bem na praça de Marigot que vende todo tipo de lembrancinha , artesanato e temperos maravilhosos….não deixe de visitar essa feirinha…acontece duas  vezes na semana, ás  quartas e sábados.
 
 
 
 
 Algumas sugestões de restaurantes: La Semanna (Baie Longue), L’Escapade, Fish Pot, Hevea, Chez Martine, Il Nettuno, Le Tastevin (Grand Case); Messalina, Le Poisson D’Or, La Vie en Rose (Marigot); La Paillotte, Le Petit Nice (Sandy Ground). Estando nesse lugar maravilhoso, não deixe de conhecer as Bullangeries(padarias/confeitarias), tem uma em especial chamada Sarafina que é simplesmente tentadora….
 
 
 
 Atrações

Para descansar da praia, existem  algumas opções como : visitar a Fazenda das Borboletas (Butterfly Farm), os fortes , conhecer as ilhas vizinhas (Anguilla e St Barts),  zoológico, rhino Safari, seaword explorer, mergulho com tubarões, sea trek e outros mais.

Fort St. Louis : Em Marigot, bem pertinho do shopping, tem uma escadaria que dá acesso ao forte (confesso que nessa hora percebi que o sedentarismo é triste ,quase não consegui subir, mas compensou todo o esforço). Lá de cima se tem uma bela vista da marina de Marigot. O visual é algo inacreditável!! Fizemos um post detalhando o paaseio  nas ilhas vizinhas (Anguilla e St Barths).